quarta-feira, 25 de abril de 2012

Harmonia em casa depende do respeito com o outro . E o exemplo deve vir dos pais

Estar em casa e ter tranquilidade. Talvez este seja o sonho de muitas famílias e a realidade de outras. Mas, para ter este bem-estar é preciso muito respeito mútuo e bons exemplos vindos dos pais.
A psicóloga Débora Macedo Jorge afirma que estes são os caminhos que a família deve percorrer para viver em harmonia. "Aquele que quer manter a harmonia na casa tem que estar atento às necessidades do outro, fazendo tudo para que ele se sinta bem. Agindo assim, os pais darão exemplo e todos acabam por agradar o outro."
A referência dos filhos vem da amizade entre o casal. "Não há diálogo com quem não é amigo, e este diálogo é o que mantém a harmonia dentro do lar, sustentado pela confiança e amizade", explica a psicóloga.
Em uma casa onde os irmãos não se dão bem, parece uma utopia falar de amizade e de harmonia. "Independentemente disso, sempre há um momento de calmaria, em que os pais devem fazer o filho refletir sobre o que aconteceu, os motivos da briga, dando sempre exemplos para sensibilizar e mostrar na prática como é bom respeitar e manter a paz na casa. As crianças só deixam de brigar quando percebem o que fizeram de errado", ensina Débora.

Segundo ela, para que este clima harmonioso se mantenha, é preciso que todos tenham respeito, consideração e amor. "Se existe respeito e consideração, não precisa ter limite, que é imposto quando não há harmonia e as regras da casa não são acatadas."
É o que confirma a empregada doméstica Fatima Gomes. "Para se viver bem em casa é preciso que todos saibam compartilhar, que sejam uma equipe, sem que haja alguém que mande, mas que todos tenham a mesma visão do todo. Além disso, respeito e saber ouvir mais e falar menos são características muito importantes para o convívio familiar."

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Dez dicas para construir uma união sólida

O casamento para ser sólido precisa da vontade do homem em conjunto com a mulher para manter o relacionamento”, afirma a psicóloga Tânia Couto. De acordo com a especialista, pequenas atitudes podem ajudar a melhorar a união, mas mesmo assim é preciso que os dois se empenhem e tenham objetivos e caminhos em comum. “O respeito é fundamental, ser leal ao compromisso e à outra pessoa, porém, principalmente, ser fiel com os próprios sentimentos, afinal, é impossível fazer o outro feliz sem ter conquistado a própria alegria”, completa.
É difícil não encontrar pequenos defeitos no outro ou casais que não tenham problemas. No entanto, não deixe a relação enfraquecer. Mexa-se e faça o possível para tornar o passar dos anos mais firmes. Não dê espaço para a inveja, desconfiança, desentendimentos. Confie na sua capacidade de fazer um casamento melhor.


O que fazer e evitar?
 O diálogo dentro de uma relação é muito importante. Quando tudo parece estar perdido, ele é capaz de mudar a situação, dar vigor, ânimo e oportunidade de não deixar nada para depois e tudo ser esclarecido. Por mais que esteja ocupado ou cansado, reserve um tempo para saber como foi o dia de seu companheiro;
- Façam todos os planejamentos a dois, seja para viagens, mudanças na casa ou qualquer gasto. Duas cabeças pensantes são mais fortes e minimizam os erros. As ideias podem ser melhoradas e efetivadas com mais sucesso;
- Nunca deixe de agradar. Atitudes simples são capazes de mudar o dia do outro e, consequentemente, fazer com que você fique mais feliz. Deixe um bilhete, faça uma ligação inesperada, faça carinho. Não é preciso dinheiro para ter boas ideias;
- Não abra mão de momentos a dois. Passeiem no parque, vá ao cinema ou teatro. Saiam para jantar. Isto não quer dizer que não devam sair com os amigos e familiares, mas o momento do casal é extremamente importante;
- Seja sempre sincero, não omita nada. Seja verdadeiro e o seu companheiro não terá receio de te contar as coisas, pensamentos e o que sente;
- Nunca dê ouvido ao que os outros falam. Cada um tem um ponto de vista e muitos não sabem o que se passa dentro do seu lar e quais são suas dificuldades. Opinião todos podem expressar, mas nem sempre é a melhor e a mais cabível para o seu problema ou dúvida;
- Ser feliz é ver sua própria felicidade no outro. A menos que não goste de algo, muitas vezes é preciso abrir mão e fazer um gosto do parceiro. Mas a doação tem que ser recíproca;
- Por mais que tenha problemas no ambiente de trabalho, familiar ou o trânsito do dia foi estressante, não desconte em quem te quer tanto bem. Muitas vezes seu companheiro está em casa ansioso para a sua chegada e não deve ser ofendido com palavras de nervosismo;
- Seja tolerante, companheiro, amoroso, amigo, calmo, sorridente e faça com que seu relacionamento seja motivo de inspiração.
- Não deixe que tudo caia na rotina!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Ensaios de uma noiva - O fim

O reencontro


Laura é uma jovem que terminou o seu noivado com um homem admirável. Ela nem sabe o motivo dessa decisão, tampouco compreende que o distanciamento foi acontecendo aos poucos, e de forma tão delicada, que, quando percebe, já se encontra longe demais dele. Laura passa a querer preencher essa falta, mas a sua tristeza, no fundo, é saber que o seu amor não está nos lugares onde procura. O dilema de Laura é tentar reencontrar o seu amado, que um dia foi desprezado, e que ela teme agora rejeitá-la.
Ainda com os olhos fechados, senti o que nunca havia sentido antes. Um abraço. Um forte e confortável abraço de amor. Jamais eu havia chorado tanto! Foi como se um filme se passasse pela minha cabeça. Lembrei-me do nosso primeiro encontro, dos momentos felizes, de quando eu terminei tudo, dos antigos namorados, da solidão, do sofrimento. Não consigo esquecer a loucura de tê-lo deixado.
Mas, naquele instante, senti-me tão segura! Porque era como se ele soubesse da minha dor; era como se ele pudesse me enxergar por dentro. Já eu, simplesmente, não tinha palavras. Até porque nada do que eu dissesse, poderia ter algum sentido.
Percebi que ele me aceitou de volta. O interessante é que ele não precisou falar nada. Apenas me ouviu.
Houve um momento, porém, em que fiquei apreensiva. Eu chorei, desabafei, implorei, e ele apenas me olhava. Cheguei até a pensar no que eu estava fazendo ali. No entanto, percebi em seguida que tudo se fazia necessário. E depois que atentou para cada palavra que falei, ele, surpreendentemente, me disse:
– Eu nunca esqueci você. Todos os dias e noites me lembrava do tempo em que passamos juntos. Da época em que concordávamos em tudo, das nossas conversas, da nossa afinidade. Sofri muito enquanto esteve longe. Pensei nas coisas que você poderia estar passando, mas o que eu poderia fazer? Você não me dava uma chance. Além disso, me angustiava sempre que sua mãe vinha conversar comigo. Ela me contava sobre como você estava levando a vida, e isso me deixava extremamente triste. Você não pode imaginar o quanto sofri com a sua ausência!
– Me perdoe! Sinto-me tão culpada. Você não deveria sofrer assim.
– Não se culpe! Isso foi necessário para que você reconhecesse o quanto estava errada. Porque tudo o que passou serviu para o seu próprio amadurecimento. Quanto ao perdão, é claro que lhe perdoo! Mas, espero que nunca mais voltemos a nos separar.
Acho que não preciso dizer mais nada, não é? Neste mesmo dia, nos casamos. Sim, foi muito rápido, é verdade. Mas, se eu já estava certa do que desejava, se já estava decidida, porque não tomar logo uma atitude?
Vivemos, hoje, uma enorme felicidade. Não vou dizer que não passamos por momentos de luta, mas ele sempre me apoia e me ajuda. Sou a pessoa mais feliz deste mundo. Não porque dei um fim aos meus problemas, já que enfrento um a cada dia, mas porque encontrei a única pessoa capaz de me realizar por completo!
A noiva e o Noivo
Ao longo de 14 capítulos, você acompanhou a história de uma jovem que comete vários erros após terminar o seu noivado. Laura, na verdade, é a personificação de todos nós, que cometemos várias falhas com a intenção de acertar.
Certamente, você deve ter se visto em alguma situação apresentada pela personagem, porque, sendo na vida sentimental, ou não, erramos muito com o propósito de corrigir erros do passado.
Assim, em outras palavras, a noiva em questão é a Igreja do Senhor Jesus, e o noivo, Ele próprio, que sofre tanto quanto nós quando decidimos nos afastar de Sua presença.
Laura, bem como você e eu, foi passível de inúmeros enganos – todos em consequência do primeiro: abandonar o Noivo. Ao longo do tempo, ela sofreu com suas más escolhas, “quebrou a cara” muitas vezes e até entrou em depressão. O pior de tudo é que ela não se atentava que isso era fruto do seu afastamento de Deus.
Agora, eu lhe pergunto: não é isso o que acontece conosco quando estamos longe do nosso Noivo, o Senhor Jesus?
No entanto, Laura se arrependeu a tempo e voltou correndo para os Seus braços. Ele a perdoou e a direcionou a uma nova vida. Da mesma forma acontece com a gente.
Se você está como a Laura da história, errando e se iludindo a cada passo que dá e acredita que Deus não se importa com você, saiba que o seu Noivo está à sua espera e, ao contrário do que imagina, Ele está na expectativa de que a qualquer momento você vá procurá-LO.

Não perca mais tempo, a Pessoa da sua vida está à sua espera.


Retirado do site arcauniversal.

terça-feira, 10 de abril de 2012